Pular para o conteúdo Vá para o rodapé

Movimentos sociais fazem atos em apoio aos palestinos

Manifestação em favor dos palestinos na noite de terça (10) em São Paulo – Foto: Roberto Parizotti (Sapão)

Nesta quarta-feira (11/10) ocorrem novas manifestações em solidariedade ao povo palestino, vítima de bombardeios e de uma declaração de cerco total pelo Estado de Israel, após os ataques promovidos pelo Hamas, que matou centenas de pessoas. A resposta do primeiro ministro israelense Benjamin “Bibi” Netanyahu foi também violenta, sem precedentes.

Netanyahu sitiou a faixa de Gaza onde vivem 2,2 milhões de palestinos. O governo israelense bloqueou o acesso impedindo a chegada de comida e remédios, além de ter cortado a água e luz da região, que está sob intenso bombardeio, matando civis, entre mulheres e crianças. Quase 200 mil palestinos deixaram suas casas na faixa de Gaza.

Até agora o número de mortos dos dois lados, passa de 1.830. Entre eles, dois jovens brasileiros: Ranani Glazer e Bruna Valeanu, ambos com 24 anos. Os feridos confirmados até esta terça são 4.250.

Diante das atrocidades também cometidas por Israel durante 75 anos e que não reconhece o direito ao Estado Palestino, representantes de movimentos populares, organizações, representações diplomáticas, frentes e Sindicatos realizam nesta quarta atos em solidariedade ao povo palestino.

Na terça (10) houve manifestações no Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo, onde terá um ato novo hoje. Em Minas Gerais, também será nesta quarta-feira. Mais informações abaixo.

Ontem, em São Paulo, a manifestação foi na Rua Rui Barbosa, 296, no início da noite.

Nesta quarta o ato será na região central da capital paulista, no Galpão da Alameda Eduardo Prado nº 474, às 18h.

De acordo com os organizadores, as manifestações são uma resposta ao que classificam como “apartheid israelense”. “Nos mobilizamos por uma Paz justa: igualdade, liberdade e justiça andam juntas. O apartheid de Israel precisa ter fim, com a garantia da autodeterminação e todos os direitos dos palestinos e palestinas, entre eles o direito ao retorno, a desocupação dos territórios palestinos tomados, e a cidadania aos palestinos que vivem em territórios denominados por Israel”, destacou em suas redes o MST (Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

No galpão estão previstas falas das representações de movimentos populares, partidos e consulados, além de integrantes do movimento BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções), que pede o fim da ocupação israelense nos territórios palestinos.

A atividade terá, ainda, a leitura e apresentação de uma carta conjunta escrita pelas entidades, movimentos e organizações que se articulam para, do Brasil, oferecerem apoio à Palestina.

Ainda na quarta-feira haverá um ato em Belo Horizonte (MG), na Praça Sete às 17h.

Por Redação CUT Nacional, com informações da RBA e Brasil de Fato

Deixe um comentário

0/100

the Kick-ass Multipurpose WordPress Theme

© 2024 Kicker. All Rights Reserved.

Sign Up to Our Newsletter

Be the first to know the latest updates

[yikes-mailchimp form="1"]