Sindicatos do Vida Bancária realizam protestos no Dia de Luta Contra as Demissões no Bradesco

Sindicato de Londrina paralisa o prédio central do Bradesco no Dia Nacional de Luta Sindicato de Londrina paralisa o prédio central do Bradesco no Dia Nacional de Luta
quinta-feira, 15/10/2020

Dirigentes do Sindicato de Apucarana paralisam agência do Bradesco em Arapongas nesta quinta-feira (15)

Atividade do Dia de Luta Contras Demissões no Bradesco em Ibaiti

Diretores dos Sindicato de Londrina apoiaram o protesto do Sindicato de Cornélio Procópio em defesa dos empregos no Bradesco 

Dirigentes dos Sindicatos do Vida Bancária estão realizando nesta quinta-feira (15/10) atividades referentes ao Dia Nacional de Luta Contra as Demissões no Bradesco. Em total desrespeito ao compromisso assumido perante o Comando Nacional dos Bancários, de não demitir durante a pandemia do novo coronavírus, o banco já mandou para o olho da rua nos últimos dias mais de 800 funcionários e funcionárias.

O Sindicato de Apucarana fechou a agência do Bradesco em Arapongas.

Na base de Arapoti, o protesto está ocorrendo na unidade do banco localizada em Ibaiti.

Com apoio de dirigentes de Londrina, o Sindicato de Cornélio Procópio paralisou o expediente da agência do Bradesco.

Em Londrina, estão paradas as três agências do prédio central do Bradesco e a Regional, a agência Prime da Avenida Higienópolis e a Praça Willie Davids.

Segundo Valdecir Cenali diretor do Sindicato de Londrina e representante do Vida Bancária na COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Bradesco, o banco não está respeitando nem mesmo funcionários que têm estabilidade pré-aposentadoria e os que têm histórico de problemas de saúde.

“Na base de Londrina foram duas demissões na semana passada, seis de uma vez ontem (14) e, por enquanto, mais uma hoje. Vamos tentar reverter o desligamento dos bancários e bancárias que têm estabilidade e lutar para suspender esses cortes”, afirma.

Exija a presença do Sindicato na sua homologação!

Valdecir orienta aos funcionários e funcionárias do Bradesco que receberem carta de demissão a procurarem o seu Sindicato imediatamente para que seja possível acompanhar a homologação do Contrato de Trabalho.


A agência Prime, da Avenida Higienópolis, também está paralisada no Dia de Luta em Londrina

Faixas na fachada da agência Praça Willie Davids, em Londrina, denunciam a ganância do Bradesco

“O banco não está fazendo a homologação nos Sindicatos, mas o bancário demitido tem direito de solicitar a presença da assessoria jurídica para verificar se na rescisão estão sendo pagos todos os direitos e, em caso de erro, fazer a ressalva. Sem isso, não vai dar para reclamar depois o que o banco deixou de pagar”, alerta o diretor do Sindicato de Londrina, lembrando que a obrigatoriedade de fazer a homologação nas entidades sindicais foi derrubada pela reforma trabalhista feita durante o governo de Michel Temer (MDB), em 2017.

 

 Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE